quarta-feira, 27 de julho de 2011

Senta que lá vem a história...

Nunca quis escrever um blog de mãe. Nada contra, mas acho que não tem muito a ver comigo, isso sem contar a polêmica que as minhas ideas revolucionárias (cof cof) poderiam gerar, então prefiro evitar a fadiga e continuar escrevendo sobre tudo. Mas um blog sobre tudo pode incluir um pouco de maternidade, né!? Afinal, sou mãe em tempo quase integral.

E a história de hoje é sobre amamentação. Ou sobre o fim dela. Nossa trajetória não foi fácil. Desde quando ter filhos era um projeto para um futuro distante, sempre pensei em seguir o curso natural das coisas, parir e amamentar - numa vibe "somos mamíferos" e tal. Mas planejei começar o desmame com uns oito meses, para a criança chegar a um ano desmamada, porque achava medonho criança grande puxando a blusa da mãe, querendo mamar. *aguardando o apedrejamento*

Ok, quando chegou na hora do vamo-vê, aprendi que na prática, a teoria é outra e que, apesar de natural, amamentar é uma coisa que precisa ser aprendida - e ensinada. O começo foi literalmente sangue, suor e lágrimas: toda vez que minha filha chorava de fome, eu chorava junto, porque doía pra diabo. Mas graças à nossa persistência e à Kamillosan, tudo se curou, tudo se ajeitou. E foi com muita alegria que amamentei a Lily exclusivamente por seis meses, e continuei amamentando após a introdução dos sólidos.

Minha ideia de amamentar até um ano foi por água abaixo quando, nas minhas leituras, aprendi que a OMS aconselha amamentação até os dois anos. Mas não foi só por isso: fiquei horrorizada com as táticas de guerrilha técnicas usadas pelas mães para desmamar as crianças - que vão desde colocar band-aid e falar que tá "dodói" até colocar coisas com gosto ruim no peito para a criança rejeitar. Decidi, então, que enquanto estivesse bom pra nós duas, eu amamentaria.

As mamadas foram diminuindo naturalmente, sobrando só as de antes de dormir (a tarde e a noite) e algumas de madrugada - a Lily vinha para a minha cama e eu dava de mamar sem nem acordar direito. A mamada da tarde sumiu por volta dos 20 meses, e lá pelos 22 eu cansei das mamadas da madrugada. Oras, eu não acordava completamente, mas também dormia completamente, então acordava um bagaço. O negócio é que o bebê amamentado não quer mamar só por fome: mama também por sede, mama por aconchego. Quando decidi tirar a(s) mamada(s) noturna(s), tive que me convencer que (a) não era fome, porque ela jantava e mamava antes de dormir; (b) sede pode se matar com água; e (c) aconchego nunca vai faltar. Então, quando ela veio pra minha cama e pediu para mamar, eu ofereci água. Ela aceitou, mas chorou querendo mamar. Eu ofereci um abraço e nós dormimos abraçadas. Na noite seguinte, ela acordou e pediu água. Na noite seguinte, ela dormiu a noite toda e só veio pra minha cama às 7 da manhã. Eu brinco que se eu soubesse que seria tão fácil, eu teria feito antes, mas acho que foi fácil porque foi feito no momento certo.

Sobrou só uma mamada, antes de dormir. Ela continuou a dormir no peito por um tempo, aí começou aos poucos a parar de mamar ainda acordada, me abraçar e dormir. Até que uma noite, ela deitou e pediu para eu cantar Se essa rua. Cantei algumas vezes e ela caiu no sono. E o mesmo foi se repetindo por várias noites, ora cantanto, ora lendo um livlo. De vez em quando ela pedia para mamar, e eu dava numa boa. Fomos ao casamento da minha sobrinha no País de Gales e, acho que por não estar na cama dela, ela pediu pra mamar bastante. E desde quando voltamos, não pediu mais. Faz 17 dias que ela não mama e nem toca no assunto. Agora, de vez em quando, ela pede pelo pai para dormir. E assim se encerra nossa jornada amamenticia - de forma tranquila e feliz.

E agora, para próxima aventura: tirar as fraldas. Boa sorte pra mim, que eu vou precisar.

3 comentários:

  1. Adoro dar de mamar, mas desmamar eh dificil, mas acho que eh mas dificil para as maes que para os pequenos. Eu amamentei a Lali ateh os dois, e foi super facil desmamar, o Goura parei antes dele completar 11 meses, tambem sem problemas. Mas eu senti muita falta no comeco, eh um algo muito especial entre mae e babys.
    Bj

    ResponderExcluir
  2. Oh, enchi de lagrima aqui lendo isso... acho que eh porque eu amo amamentar e nao vejo a hora de ver a Sofia me pedindo peito (falando mesmo). Oh meu Deus... nao sei se vou conseguir negar.

    ResponderExcluir
  3. adorei o "aguardando o apedrejamento* hahahaha e eu q não amamento (tenho um bom motivo), mas enfim... já acho complicado coordenar as mamadeiras, nem imagino a dificuldade de amamentar!!!

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...