quinta-feira, 25 de agosto de 2011

30 livros em 30 dias.

A Babi me marcou lá no Facebook, mas como sou do contra, vou fazer aqui de novo (e sim, sei que não acabei o desafio de fotografia, mas juro que termino).

Então, que rufem os tambores!

Dia 1: O seu livro favorito de todos os tempos

Bom, que lê meu blog sabe que eu sou óbvia, então o meu livro favorito também é meio óbvio, lugar comum, clichê e tudo mais, mas fazer o que?

Li Dom Casmurro pela primeira vez quando eu tinha uns 12 anos. Tava dando sopa na estante da sala, eu, muito curiosa que sou era, li. Fiquei fascinada pelo livro e, desde então, li várias e várias vezes - aliás, tentada a comprar a versão para Kindle, mas não vou porque tenho uma pilha de livros para ler e, bom, certamente passaria o Machadão na frente.

"Deixe ver os olhos, Capitu.

Tinha-me lembrado a definição que José Dias dera deles, "olhos de cigana oblíqua e dissimulada." Eu não sabia o que era oblíqua, mas dissimulada sabia, e queria ver se podiam chamar assim. Capitu deixou-se fitar e examinar. Só me perguntava o que era, se nunca os vira, eu nada achei extraordinário; a cor e a doçura eram minhas conhecidas. A demora da contemplação creio que lhe deu outra ideia do meu intento; imaginou que era um pretexto para mirá-los mais de perto, com os meus olhos longos, constantes, enfiados neles, e a isto atribuo que entrassem a ficar crescidos, crescidos e sombrios, com tal expressão que...


Retórica dos namorados, dá-me uma comparação exata e poética para dizer o que foram aqueles olhos de Capitu. Não me acode imagem capaz de dizer, sem quebra da dignidade do estilo, o que eles foram e me fizeram. Olhos de ressaca? Vá, de ressaca. É o que me dá idéia daquela feição nova. Traziam não sei que fluido misterioso e enérgico, uma força que arrastava para dentro, como a vaga que se retira da praia, nos dias de ressaca. Para não ser arrastado, agarrei-me às outras partes vizinhas, às orelhas, aos braços, aos cabelos espalhados pelos ombros, mas tão depressa buscava as pupilas, a onda que saía delas vinha crescendo, cava e escura, ameaçando envolver-me, puxar-me e tragar-me."


PS: Você que está lendo esse post, vote! 

3 comentários:

  1. Adoro Dom Casmurro, sempre, infinitas vezes.
    Um beijo

    ResponderExcluir
  2. Aaaaaahhhhh, como eu adoro Dom Casmurro. Li de novo nao faz muito tempo. Tao bom. Alias, Machado eh tudo. Memorias Postumas eh show de bola tambem!

    ResponderExcluir
  3. Acho Dom Casmurro bem legal, mas nunca o colocaria na lista de favoritos...rs

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...