segunda-feira, 22 de agosto de 2011

Studio MK27 - Marcio Kogan

Dias desses, resolvi que devia parar de comprar revistas de fotografia e começar a comprar revistas de arquitetura. Comecei por uma Architectural Review que eu estava namorando há tempos, mas não tinha coragem de desembolsar 10 mangos. Tirei o escorpião do bolso e fui lá. Na primeira folheada, me chamou a atenção um projeto no Brasil, a Casa Paraty, do Studio MK27. Uma casa lindíssima, que por algum motivo me lembrou um Paulo Mendes da Rocha mais leve. Arquivei o comando "procurar no Google" em algum canto da memória e acabei me esquecendo.

Casa Paraty

Aí, algumas semanas depois, comprei a revista Wallpaper. Meu marido me avisou que era uma revista pretensiosa, mas eu nem liguei porque, né, o que meu marido entende de design-interiores-moda-artes-estilodevida? Se eu tivesse dado ouvidos a ele, estaria cinco dinheiros mais rica, mas não teria visto a foto de um tal restaurante cujo interior foi projetado por um tal de Marcio Kogan (ou algo assim, tô com preguiça de checar na revista). Aí o tico e o teco entraram em ação e pensaram: será que o MK do estúdio da outra revista é esse mesmo Marcio?

*pausa dramática*

Pois é, caro leitor, eu, Ana Carolina Silver Tape, arquiteta e urbanista, não conhecia Marcio Kogan, muito menos o Studio dele. Rasguem o meu diploma, queimem a minha coleção da AU, cassem o meu registro no CREA. Putz, fiquei com uma dor no coração, porque o cara - e/ou o escritório dele - tem um produção tão bacana e eu fui descobrir que ele existe por duas revistas estrangeiras. Pensei nisso o dia todo e acho que a culpa (por falta de palavra melhor) foi da mineiridade da minha formação e da minha falta de atenção quanto a nomes. É possível que eu já tenha visto o nome dele em algum lugar e não guardei. Já a mineiridade, foi ótimo poder estar em contato com grandes arquitetos produzindo localmente - e ainda que BH seja tão longe de Uberlândia quanto São Paulo, Sylvio de Podestá e Gustavo Penna abriram as portas de seus escritórios para nos receber -, mas percebo que não conheço muita coisa da arquitetura contemporânea produzida em outros estados.

Hoje fui visitar o website do Marcio e me apaixonei. O primeiro projeto que eu vi se chama Casa Cobogó - ganhou meu coração para sempre. A partir desse momento, quero saber tudo sobre a vida e obra desse moço. O que ele produz é exatamente o que eu gostaria de fazer, nada de frufru, só o essencial, lindamente executado. Praticamente um Mies Van Der Rohe dos dias de hoje. Então, procuro desesperadamente material sobre esse arquiteto. Quando for ao Brasil, vou caçar furiosamente na coleção da AU - se não tiver sido queimada. E Marcio, se dia desses estiveres em Londres, liga pra mim pra gente tomar um café. Quero saber tudo sobre o cobogó!

Casa Cobogó

Fotos: AR e StudioMK27 

PS: Ainda não terminei de ler a Wallpaper, mas tem uma reportagem comemorativa dos 15 anos da revista, com os 150 nomes que agitaram a revista durante esse tempo. Marcio está lá, nas palavras da revista: "os projetos de Kogan nos causaram uma séria inveja residencial e (ainda mais) um motivo para visitar a América do Sul. Modernismo de verdade, estilo brasileiro." Desculpem a tradução malfeita, não consigo pensar em algo melhor para "house envy". Vários outros brasileiros estão na lista - nem todos arquitetos-, talvez fale sobre eles em breve.

Um comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...